jump to navigation

BUNDÃO 2 março 19, 2008

Posted by JN, Rio de Janeiro in boazuda, gente, Pode isso?.
2 comments

bundao-2-de-avery-zoe-via-flicker-cc.jpg

Aeronave na pista. Embarque autorizado. Todos os passageiros para o ônibus e embarcando pela escada.

Na minha frente está subindo uma moça, de uns vinte e muitos anos, com uma bunda impressionante.

Aposto que estão pensando que era linda e maravilhosa, né? Engano total. Era horrível e colossal. Uma monstruosidade. Tão grande que tinha vida própria. A moça tinha cintura fina e enganava na parte de cima, pois até parecia magra, mas a bunda, larga, esbarrava nos dois lados da escada enquanto ela subia. Fiquei imaginando como ela ia sentar aquilo tudo.

Não vi, pois ela foi lá para trás e nunca mais tive acesso ao bundão. 

Foto de Avery Zoe, via Flicker cc

Anúncios

JOGO DE SEDUÇÃO setembro 13, 2007

Posted by JN, Rio de Janeiro in boazuda, gente.
add a comment

mulher-da-calca-branca.jpg

Segue história enviada pelo Sérgio de São Paulo, assíduo leitor do blog Relaxa e Goza:

“Nesses tempos de espera em aeroporto acontece de tudo.  Olha só que situação:

– sala de embarque do aeroporto Santos Dumont;

– por volta das 18 horas;

– vários executivos sentados e outros andando de um lado para o outro a espera da chamada para embarque;

– o vôo já estava quinze minutos atrasado e a tensão estava no ar;

– aí aparece uma mulher de calça comprida branca, marcando bem a calcinha (também branca), com uma blusa de seda de oncinha com alguns botões da frente propositalmente desabotoados, com um sutiã bege de rendinha aparecendo e com sandália de salto alto. Com esse sapato ela parecia ter cerca de um metro e setenta. Silicone tinha com certeza e muito. Cabelos pretos bem pintados. Uns trinta e poucos anos, bem vividos. Andar firme e decidido, olhando sempre para a frente, mas sabendo que todos os olhares masculinos estavam nela. E ela gostava.

Se dirigiu ao NOSSO portão de embarque, que era o de número 7 e ficou em pé esperando;

agora todos puderam olhar o outro lado…era melhor ainda…e aquela calcinha branca, bem pequena, aparecia melhor por este ângulo;

– enfim embarcamos e, por um milagre, ela sentou ao meu lado.

Obrigado meu Deus. Eu mereço, mas nem tanto.

– o avião estava cheio, eu sentei na janela, ela no meio e um daqueles outros executivos metidos sentou no corredor. O meu azar é que ele tinha cara e roupa de empresário e eu de executivo. De alto escalão, mas executivo – pensei rápido: vou dominar a situação antes dele… e puxei assunto com aquele comum e idiota comentário:

– “essa poltronas estã cada vez mais apertadas, né?”;

– ela, poderosa e sem me olhar, respondeu: – “é”;

– fiquei arrasado, mas não me deixei abater. 

– o tal cara puxou um livro em inglês e começou a ler. Sujeito nojento. É golpe baixo… ele sabe que isto impressiona esse tipo de mulher;

– foi aí que ela puxou assunto com ele: – “desculpa, mas preciso passar para pegar uma pasta que esqueci na mala aí no bagageiro”;

– ele soltou o cinto lentamente, se levantou com uma puta classe e disse que pegava para ela.

A DESGRAÇADA sorriu e aceitou a ajuda;

– eu pensei: – dancei…dito e feito, os dois sentaram e começaram a conversar;– o pior é que falavam tão baixo que eu mal conseguia ouvir. 

Agora, pasmem, de repente, já quase no final da viagem, eu vi os dois trocando cartões. Deu para entender que ela era do Rio e ele de São Paulo e que a empresa dele era de logística. O cara tava que tava e ela toda simpática.

Desceram juntos em São Paulo e dividiram o táxi.

Eu não sei quem seduziu quem, mas que rolou um clima, isso rolou… quem sabe na próxima dou mais sorte. “

Foto de Rob Beyer, via Flickr cc

PELA DONA NO AR agosto 25, 2007

Posted by JN, Rio de Janeiro in boazuda.
add a comment

saia-vento.jpg

Cena: mulher bonita, sexy, com blusa vermelha decotada e justa e saia branca larga e belas pernas.Aeronave para na pista do Santos Dumont, pois os fingers estão ocupados.Mulher desce pela escada e quando toca com pé direito no chão, bate um vento e levanta a saia dela até lá em cima.A calcinha é branca e bem pequena…daquelas tipo fio dental. Ela abaixa rápido (ou não tão rápido assim) e todos em volta se entreolham. Ligeiros sorrisos.A tal dona caminha apressadamente, mas dá uma olhada para trás. Os homens viram o rosto e fingem que nada viram.

A galera é cínica, mas gostou.

Foto acima de Ginto

CACHORRINHO DE MADAME julho 8, 2007

Posted by JN, Rio de Janeiro in boazuda, tumulto e briga.
1 comment so far

reportergimmi-via-flickr.jpg

Imaginem a cena:

Mulher, se achando a gostosa, jeans justinho, blusa de oncinha idem, já meio balzaca, cabelo de chapinha e pintado, umas duas plásticas baratas, bonitona no geral e daquelas que chamam a atenção em qualquer lugar. Salto altíssimo no tamanco plataforma. Irritada porque perdeu o vôo e dizendo que a culpa era daquela bagunça no aeroporto e que exigia indenização de alguém. Para completar, um cachorrinho, daqueles de madame, em uma bolsinha apropriada.

Ela falava tão alto que ninguém percebeu que ela colocou a bolsinha com o cachorrinho no chão, e que ele saiu. O cachorrinho correu em volta do balcão do atendente, latindo muito e, quando ela percebeu, o tumulto aumentou. Correria geral e o cachorrinho não parava de correr e latir. Ela chamava o dito cujo pelo singelo nome de “Astolfo”.

Risada geral.

Um garoto de uns doze anos pegou o Astolfo, e eles embarcaram no vôo seguinte. 

Foto acima, do repórtergimmi, via Flickr 

A “TODA-TODA” julho 7, 2007

Posted by JN, Rio de Janeiro in boazuda, celebridades.
add a comment

Essa é do leitor Caique, publicada no site do Ancelmo Góis:

toda-toda.jpg 

” Ancelmo eu vi o blog, e lembrei de uma história: eu tinha ido a Natal, com um colega também arquiteto para um serviço. O cara se gabava de não ter medo de avião. Aí o vôo atrasou, e ele começou a biritar no saguão prá espantar o terror. Quando embarcamos, o cara já estava prá lá de Teerã. Avião cheio. Sentamos eu, ele e uma atriz global, “toda-toda”. Foi há algum tempo, quando ainda tinha lanche decente. E a aeromoça pro cara: “o senhor deseja comer alguma coisa?” – E o pinguço apontando prá atriz: “ela!” Tivemos que trocar de lugar, claro…”

Foto de Walter G. Ace, via Flickr