jump to navigation

PARA MANTER O PREÇO EM REAL, CAI VALOR DE PASSAGEM EM DÓLAR agosto 21, 2013

Posted by JN, Rio de Janeiro in Uncategorized.
add a comment

Com o título acima, saiu hoje na Folha Online, o seguinte texto:

“Para não afugentar a procura com a alta do dólar, algumas companhias aéreas estão reduzindo o preço das passagens em dólar para manter o valor em real.

Isso está acontecendo principalmente nos voos que tem como destino os Estados Unidos, segundo o sócio fundador da agência de viagens online Viajanet, Bob Rossato.

O mesmo movimento foi captado pelo site de comparação de preços Melhores Destinos.

“A gente acha que o mercado vai se retrair, mas isso não está acontecendo, a demanda está muito estável”, diz Rossato.

Nas últimas semanas, com o fim das férias, as companhias também lançaram algumas promoções. Até a semana passada, havia passagens para Buenos Aires por US$ 80,00 e para Orlando por US$ 369.

As agências que vendem pacotes turísticos também estão congelando o câmbio para manter as vendas.

“A volatilidade é o que afugenta os consumidores”, diz o diretor de assuntos internacionais da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), Leonel Rossi Jr.

“As pessoas ficam na expectativa para ver o que vai acontecer. Mas, na hora em que o câmbio se fixa, as pessoas se acostumam e a vida continua.”

Atualmente, as agências estão oferecendo pacotes com câmbio congelado em torno de R$ 2,20. Ontem, depois de seis altas seguidas, o dólar fechou em R$ 2,39, queda de 0,30%.

Desde janeiro, enquanto o câmbio subiu 17,4%, os pacotes subiram em média 10%, segundo a Abav. Para compensar a diferença, hotéis 4 estrelas estão sendo substituídos por 3 estrelas.

Para o ano, a expectativa da Abav é de estabilidade no mercado de viagens internacionais. “Devido ao baixo crescimento da economia, devemos repetir o ano de 2012, que foi um ano muito bom”, diz Rossi Jr.

Já para o turismo doméstico, as agências preveem crescimento de 7%. “O dólar alto pode ajudar o mercado interno, mas não é a principal motivação.

As vendas estão maiores porque as pessoas estão viajando mais e há mais facilidades, como parcelamento em dez vezes”, diz.

Maior operadora turística do país, a CVC segurou o câmbio em R$ 1,99 no mês de julho e diz ter conseguido um aumento de vendas da ordem de 10%, na comparação com julho do ano passado.

Hoje o câmbio da CVC está em R$ 2,29, mas, nas últimas duas semanas até segunda-feira, pacotes com passagem da American Airlines estavam sendo vendidos com câmbio a R$ 2,09.”

Ótimas informações para estimular quem gosta de viajar.

BRIGADEIRO COM VERGONHA agosto 19, 2013

Posted by JN, Rio de Janeiro in Uncategorized.
add a comment

Saiu hoje na Folha de S. Paulo online, com o título “Um terço dos acidentes aéreos envolve irregularidades”, o seguinte texto:

“Um terço dos acidentes aéreos investigados pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) envolveram violações às normas da aviação.

O dado, inédito, foi divulgado anteontem pelo chefe do Cenipa, o brigadeiro Luís Roberto do Carmo Lourenço, no Simpósio Nacional de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, em São Paulo.

Segundo o oficial, 34,25% dos 181 acidentes aéreos registrados e investigados pelo órgão em 2012 apresentaram violações às normas de aviação, como piloto sem habilitação e inspeção da aeronave vencida.

Para o brigadeiro, irregularidades como essas são um dos maiores vilões da aviação geral (soma das operações comerciais e privadas).

Questionado se os dados reforçavam a ideia de falta de fiscalização, o brigadeiro disse que essa questão era atribuição da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e que não teria como comentar. Mas afirmou que é uma questão cultural que tem a ver com o “jeitinho brasileiro”.

VERGONHA

“Estou com vergonha, 103 acidentes é inaceitável para um país que tem a aviação que o Brasil tem”, disse o oficial na abertura de sua palestra, ao divulgar a parcial de acidentes da aviação civil do primeiro semestre deste ano.

A irregularidade mais frequente é a operação em pista não registrada ou homologada, que apareceu em 24,2% dos acidentes de 2012.

Habilitação do piloto vencida foi constatada em 16,1% dos casos, e falta de habilitação, em 4,8%. Em 14,5% dos acidentes, a aeronave estava com o CA (certificado que atesta as condições para voar) vencido ou cancelado.

CRESCIMENTO DA FROTA

O Brasil tem a segunda maior frota civil do mundo, com 15.019 aeronaves. Segundo os dados da Anac, de 2012, houve crescimento de 40,3% em relação a 2003.

Já o número de acidentes cresceu mais no mesmo período: 158,5%. Passou de 70 em 2003 para 181 em 2012, segundo dados do Cenipa.”